segunda-feira, 30 de junho de 2008

1 - De paixões e recomeços

Há seis meses vinha alimentando um sentimento maior por um amigo.
Dia 26, quinta-feira à noite, resolvi declarar meu afeto pois não aguentava mais o tal sentimento que crescia e crescia sem parar - embora soubesse que não haveria a menor chance de ser correspondida. Notei a decepção na voz dele e percebi a mágoa escondida entre suas palavras.
Tinha esperança de pelo menos com minha atitude conservar nossa amizade.
A esperança esvaiu-se ontem por volta das 23:00 hs qdo ele declarou que preferia ir embora sozinho depois do trabalho, pelo mesmo caminho que antes fazíamos juntos.
Segundo ele, estava cuidando dos meus sentimentos.
"Que sentimentos?" - perguntei eu - "Egoísta, só está preocupado com o conforto dos próprios sentimentos..."
Conheço-o o suficiente para saber que não adianta argumentar. Quando tomada uma decisão ele não volta atrás. Estou decepcionada e o que mais temia - a perda de nossa amizade - aconteceu.
Estou sendo punida por ter declarado o meu amor.
E não há nada que eu possa fazer a não ser respeitar sua decisão.
Já o excluí de minha Vida virtual e agora (o mais difícil) terei de excluí-lo da minha Vida real.

O Alfarrábio nasce dessa "morte natural" de um sentimento por seu "Vento Inspirador".
Mas não deixem de gostar, apaixonar ou amar alguém. E sejam corajosos e se declarem.
Com todo o "aperreio" vale à pena.
Afinal, o Amor é que faz o mundo girar...

Para Mauro Castro e Layla Badawya

Um comentário:

Giane Brandão disse...

Dedico esse post de abertura para Mauro Castro e Layla Badawya.
Ele belo bom humor com que descreve cenas do cotidiano.
Ela pelo amor intrínseco em cada palavra.
Ambos pela prosa e pela poesia narradas.
Agradeço a ambos e amo os dois mesmo á distância e conhecendo-os apenas por imagens e palavras.

Amigos na mente, nas palavras e no coração.

Related Posts with Thumbnails