sábado, 22 de novembro de 2008

75 - Soneto do Amor só


Da Luz se fez a treva
No coração abriu-se chaga
Feita por linda e cruel adaga
O que era bela floresta, agora é terrível selva.

Soube-se que a Amizade
Já não era mais Verdade
O que era lindo, transformava-se em crueldade
E enfim, tomou forma de triste realidade.

Tudo em um dia, tudo em um dia.
O que era alegria, o que nos sorria
Passou a ser a ferida que mais chorar fazia.

O que era a visão mais querida
Transformou-se na visão mais sofrida,
Tudo em um dia, tudo em um dia.


sp.04/03/1986/dom.

4 comentários:

Giane disse...

Eu gostaria de sempre estar e sentir-me "por cima".
Nem sempre é possível.

Hoje procuro observar a poesia e seguir a rima, conforme aconselhou uma Amiga de Boas Palavras e Palavras Amigas.

http://crispenaforte.blogspot.com/2008/11/fragmentos-de-mim_19.html


Imagem - Google Images

Gilbamar disse...

Embora num tom melancólico, percebo que esse poema também tem algo especial de magia e fascinação que toca de maneira ainda mais forte. Voce escreve muito bem e tem uma linda veia poética.

Deixo meu fraterno abraço poético.

1/4 de Fada disse...

Giane, você escreve poesia muito bem, eu já tinha percebido que escrevia prosa, mas poesia é uma surpresa. Parabéns.

tossan disse...

Linda poesia! Não é melosa, é viva. Bj

Related Posts with Thumbnails